Relatório Diário dos Mercados Financeiros 09-10-2013

Publicado em 09/10/2013

Imagem do Artigo Relatório Diário dos Mercados Financeiros  09-10-2013


MERCADOS: os principais índices de ações dos Estados Unidos fecharam com fortes perdas, impulsionadas pela publicação de dados econômicos piores que o esperado e porque o Presidente dos Estados Unidos alertou sobre uma profunda recessão, caso continue a paralisação do governo. O Dow Jones caiu 1,07%, para os 14.777 pontos; o Nasdaq baixou 2,00%, para os 3.695 pontos; enquanto o S&P 500 recuava 1,26%, para os 1.655 pontos.   

ECONOMIA: hoje nos Estados Unidos foi publicado um relatório que mostra que a confiança entre as pequenas empresas caiu em setembro para seu menor nível em três meses; indicando seu pessimismo sobre as perspectivas econômicas. O índice de otimismo empresarial caiu para 93,9 no mês passado dos 94,1. Na Alemanha, os pedidos de fábrica caíram inesperadamente 0,3% em agosto depois da queda de 1,9% em julho. Os economistas pesquisados pela Bloomberg projetavam uma alta de 1,1% em agosto.

CORPORATIVO: analistas esperam que a Morgan Stanley, o Bank of America e a Wells Fargo liderem a temporada de recortes no setor bancário com benefícios combinados de 8,64 bilhões de dólares, 14% superiores ao divulgado em 2012. A Chrysler, fabricante norte-americano de carros, controlado pela Fiat, anunciou que contratará 500 trabalhadores em uma de suas plantas no México.

GOVERNO: os investidores continuam atentos ao que possa vir a acontecer nos Estados Unidos a respeito dos limites de endividamento. Hoje, o Presidente Barack Obama disse que a economia desse país poderia correr um risco importante de uma profunda recessão, se o Congresso não aumentasse o teto da dívida, atualmente em 16,7 trilhões de dólares. O líder republicano, John Boehner, exigiu a Obama que negocie, depois de ele ter comentado, ontem, que não dará marcha à ré em relação a negociar com os republicanos.

PARA ONDE OLHAR? amanhã, nos Estados Unidos, o Federal Open Market Committee (FOMC)
publicará as minutas de sua reunião de setembro. Tanto o Reino Unido quanto a Alemanha vão publicar seus dados de produção industrial.


Deixe seu comentário