Cenário de Curto Prazo para os Mercados 22-04-2014

Publicado em 22/04/2014

Imagem do Artigo Cenário de Curto Prazo para os Mercados 22-04-2014

Perspectivas para a semana de  21 a 25 de abril de 2014

Segundo a Tendências Consultoria, os mercados internacionais devem manter o quadro instável que prevaleceu nos últimos dias, alternando períodos de otimismo e cautela diante dos fatores controversos que têm predominado. As tensões na Ucrânia seguem como um elemento de risco, considerando o potencial existente para o agravamento da situação, que também envolve a Rússia e grandes potências ocidentais. Por outro lado, sinais mais favoráveis das duas principais economias do mundo – Estados Unidos e China – proporcionaram um ambiente mais ameno nos últimos dias, sendo que os agentes devem ficar atentos aos próximos indicadores que saem ao longo da semana. A agenda de balanços prossegue em Wall Street, após resultados iniciais mistos. No Brasil, onde os mercados reabrem apenas na terça-feira, fatores domésticos também têm se mostrado muito importantes na evolução dos ativos, com destaque para pesquisas eleitorais e os sinais da política monetária. No geral, o bom humor tem persistido no âmbito interno, mas a correção do câmbio e a acomodação da Bovespa sugerem dificuldades para novos ganhos no curto prazo.

A semana começa pouco movimentada na agenda global, tendo apenas os indicadores antecedentes nos EUA na segunda-feira. Porém, a partir da terça-feira, o calendário ganha intensidade no exterior, com dados de atividade e balanços corporativos diários nos Estados Unidos, além da prévia do índice PMI na China, na noite da terça. O mais provável é que as informações sejam mistas, o que somado à continuidade das preocupações no leste europeu, sustentem um quadro volátil nos mercados nos próximos dias. No geral, o ambiente tem sido favorecido por uma combinação de melhora da economia norte-americana, com declarações do Fed de que irá manter a postura expansionista, além dos números da China que reduziram o receio de um pouso forçado da economia.

No Brasil, além do contexto externo, os mercados têm acompanhado de perto desdobramentos domésticos.
A reabertura na terça já deve contar com informações de uma nova pesquisa eleitoral do Ibope, o que poderá ter algum impacto. A agenda local é pouco intensa, tendo como destaque fluxo cambial e nota do setor externo, que devem movimentar o câmbio, além dos índices semanais de inflação, que impactam a curva de juros. A despeito do cenário ainda preocupante com a inflação, segue como mais provável a parada no ciclo de aperto monetário, conforme sinalização pelo Banco Central. No caso da Bovespa, a recuperação recente dá indícios de alguma perda de fôlego de curto prazo, embora as ações sigam atentas a questões políticas. Na terça, cabe atentar para os efeitos do exercício de opções, que deve afetar principalmente as blue chips e o índice.

 


Deixe seu comentário