Cenário de Curto Prazo para os Mercados-07-04

Publicado em 07/04/2014

Imagem do Artigo Cenário de Curto Prazo para os Mercados-07-04

Segundo a Tendências Consultoria, os mercados internacionais finalizaram a semana em meio a uma realização de lucros nas bolsas, mesmo após dados positivos do mercado de trabalho norte-americano. Dessa forma, fica a expectativa para a evolução dos próximos dias, se tal ajuste será uma tendência no curtíssimo prazo. O quadro econômico geral é favorável, com sinais de recuperação da economia norte-americana, embora insuficientes para alterar as perspectivas para a política monetária, que nesta semana continuará no foco com a ata do Fomc e declarações de membros do Fed.

No Brasil, a Bovespa também aproveitou a deixa para corrigir ligeiramente os fortes ganhos recentes, enquanto o real partiu para uma intensa valorização, em resposta à queda global do dólar e ao anúncio das rolagens de swap pelo BC. Além disso, a semana terá como destaque a ata do Copom, após o comunicado abrir a possibilidade de fim do ciclo.

No exterior, a despeito da correção desta sexta-feira, o cenário segue moderadamente positivo neste momento. Sem fatos novos sobre Ucrânia e China, os agentes focaram as atenções nos Estados Unidos, que teve uma semana de diversos dados e declarações de dirigentes do Fed. Logo na segunda-feira, Janet Yellen atenuou o tom otimista do último comunicado do Fomc, citando que a economia ainda está abaixo das metas do Fed e requer suporte. Os dados do mercado de trabalho foram positivos, mas ainda indicaram um nível elevado de subemprego, uma medida considerada por Yellen.

Nesta semana, a ata do Fomc estará no foco (quarta-feira), além de outras declarações de membros do board. O texto deve traçar um panorama favorável da economia, mas os dirigentes devem manter um tom mais cauteloso, sem causar maiores sustos nos mercados. Também na quarta-feira, vale avaliar os dados da balança comercial da China, que devem repercutir na manhã seguinte. No geral, com as bolsas em patamares elevados, um período de movimentos mais contidos e instáveis seria viável.

No Brasil, a semana será intensa para a curva de juros. O comunicado do Copom mudou o discurso e indicou que o ciclo de alta da Selic está no fim, podendo inclusive já ter sido encerrado, a depender da evolução do cenário macroeconômico até a próxima reunião. A ata na quinta-feira deve trazer sinais mais claros da disposição atual do BC, embora deva manter esta postura dependente de dados. Neste sentido, a semana traz diversos indicadores de inflação, com destaque para o IPCA de março (quarta), cuja expectativa é de manutenção das variações elevadas.

No câmbio, a queda do dólar spot para abaixo de R$ 2,25/US$ reforça o ambiente de curto prazo favorável, apesar do fluxo negativo da última semana. A continuidade das intervenções do BC, rumores políticos e a acomodação global do dólar têm favorecido o real, mas os fundamentos seguem adversos para a moeda. Vale acompanhar o fluxo semanal, na quarta. Já a Bovespa também tem se beneficiado de especulações políticas, o que tende a manter a volatilidade neste momento, considerando que novas pesquisas devem ser divulgadas no fim de semana. Embora possa sofrer com uma realização nestes dias, o quadro para a bolsa mostra-se mais promissor para os próximos meses.


Deixe seu comentário